terça-feira, 15 de junho de 2010

divulgação: leitura encenada Mistero Buffo (excertos) de Dario Fo

CONTAGIARTE
Rua Álvares Cabral, 372 - Porto

quinta-feira, 17 de Junho de 2010
22:30 - 23:00


Continuando o ciclo dedicado à exploração performativa das palavras -
Ar das Palavras - e no âmbito do ciclo Dário Fo que Terra na Boca
organiza no decurso de 2010, apresentamos agora uma obra-prima deste
nobel da literatura: Mistero Buffo.
Estreado em 1969 em formato de monólogo/contador de histórias, e logo
alvo de polémica, Mistero Buffo é uma colectânea de narrativas,
meditações, anedotas e comentários de inspiração medieval italiana,
mas que o narrador/actor/encenador usa para reflectir a nossa
realidade social e pessoal, por vezes de forma comovente, por vezes de
forma divertida.

tradução e adaptação de Jorge Palinhos, direcção de Vanessa Martins,
interpretação de Luciano Amarelo, Pedro J. Ribeiro e Vanessa Martins.

segunda-feira, 14 de junho de 2010

da festividade

Deram-nos por baptismo o nome de João.
Eu, cresci nas ermas terras do Norte de Portugal, há muitos séculos
atrás; ele, cavalgou por terras longínquas, daquelas que nunca a
minha vista alcançou.
Fui um ser modesto, ajudei quem pude, como sabia, trabalhando nas
colheitas, amassando pão, apregoando bons conselhos a gente simples;
ele, calejado em retórica, afrontou o poder instituído. Herodes
tomou-o por inimigo, combateu-o no deserto, venerou-o no esquecimento.
Não lamento ter morrido eremita, longe de todos, deixado à minha
sorte, bebendo o eterno sono dos justos; ele, caiu às mãos de um rei
sequioso de sangue, guerreiro vingativo de uma filha caprichosa.
Partilhamos por uma noite de Junho a alegria do Porto, em festa. Dois
homens num mesmo corpo terreno, a folia de quem arrisca saltar
fogueiras, adornar a noite no cheiro do alho-porro e sabor a sardinha
assada. Em uníssono a música deambula rua a cima, rua abaixo.
Ultrapassamos ano após ano a idade infinita da celebração, relembrando
um ao outro o destino que nos uniu.